logo mohap.png
  • Renata Robazza

O airbnb está ai e veio para ficar. O que fazer?

Atualizado: Abr 22

O serviço online comunitário para as pessoas anunciarem, descobrirem e reservarem acomodações e meios de hospedagem surgiu em 2008 e, de lá para cá ganhou força com o movimento denominado “uberização” de experiências. A sua popularização trouxe consigo uma mudança considerável no segmento de hotelaria e turismo em todos os sentidos.



O nome tem origem na combinação de “air bed” e “bed & breakfest” (“colchão inflável” e “cama e café da manhã”) e tem a ver com a irreverência dos criadores do serviço de hospedagem que fornece uma plataforma para que os proprietários ofereçam suas residências privadas à hóspedes pagos.


Ao falamos sobre esta plataforma temos que estar cientes de que, assim como os taxistas perderam a luta contra a Uber enquanto assistiam ao nascimento de várias outras empresas com o mesmo perfil, não há como deter o crescimento das diferentes formas de oferta de hospedagem. Formatos como o do airbnb estão ai, não é apenas uma moda e está impactando em muito a receita de hotéis, sejam eles de que porte for.


Mas o que realmente mudou? E qual a parcela de culpa do Airbnb nisso tudo?



A Uberização nos meios de hospedagem


Muito se fala sobre a “uberização de experiências”. Segundo o Canaltech, Uberizar virou significado de uma nova forma como os intermediários gerenciam seus negócios incluindo soluções de tecnologia para colocar consumidores e fornecedores em contato direto. Nesta linha, podemos dizer que neste novo conceito a tecnologia conecta e agiliza os processos, apoiada pela concepção de ‘compartilhar para reduzir custos’.


No caso do Aibnb, esta plataforma une pessoas que têm a necessidade de hospedagem com as que possuem vagas em diferentes configurações. A tecnologia entra para facilitar essa conexão através de oferta de informações, entrega de qualidade validada pela opinião de clientes/usuários e promessa de facilidade de reserva/pagamento.



A “novidade”


Sob a perspectiva da uberização podemos analisar a plataforma AIRBNB sob 3 aspectos: produto – experiência do cliente – forma de vender.


Observando pela perspectiva do produto (hospedagem fora do lar) – temos que admitir que a prática de locação por temporada não é uma novidade para o ramo hoteleiro. Este formato já existia, informal e também formalmente, inclusive sob o intermédio de imobiliárias.


Quanto à experiência do usuário, esta merece um capítulo à parte. Mas o fato é que a plataforma colaborativa atende algumas expectativas e segue as peculiaridades das exigências da geração C - a geração coletiva e conectada. Como já falamos, este aspecto trata-se mais de branding do que de diferenciação do produto propriamente dito.


E finalmente, chega-se à forma de vender – o airbnb usa basicamente um site com um motor de reservas, tecnologia já há muitos anos disponível para o setor hoteleiro. A grande diferença é que se fez ai um ‘consórcio’ de proprietários unidos sob um único intermediário (e as OTAs* não oferecem o mesmo?)


Analisando estas 3 dimensões, podemos observar que todo o processo sempre esteve nas mãos da hotelaria. E ai começamos a concordar com a frase de Fabio Steinberg quando diz que o ‘Airbnb entrou no universo da hospitalidade pela porta dos fundos, que pelo jeito estava destrancada’.




Seria o airbnb o grande inimigo da hotelaria?


O fato é que o Airbnb é um grande intermediário que se colocou sob a bandeira do associativismo de proprietários de imóveis particulares para locação. Nenhuma receita nova, apenas reinventada e mostrada sob novo argumento. Nada mais que uma boa estratégia de Produção de Conteúdo e muito investimento em Marketing.


A própria Booking se divulga como aliada à hotelaria mas também oferece propriedades particulares . Segundo dados divulgados por esta plataforma, a cada segundo, sete clientes do Booking.com fazem check-in em uma casa, apartamento ou outro tipo de acomodação alternativa.


Podemos dizer que, para cada argumento que explicam o sucesso do Airbnb, conseguimos listar processos já consolidados na hotelaria. Os mesmos apenas foram apresentados de uma forma diferente e que se adequa ao perfil desta nova geração.


Mas se existe um alento, o que estamos vendo é que o próprio mercado se auto-regula: em algumas cidades europeias, observou-se uma redução da oferta aos moradores e o consequente aumento do custo do aluguel, o que acarretou na limitação da atuação das plataformas.



E o que fazer?


Em gastronomia já sabemos bem como fazer: se o bolo deu certo, siga a mesma receita e faça do mesmo jeito. Como se diferenciar? Ai depende de cada empresa achar o ponto que vai trazer mais valor agregado e, repito, entender bem o que eu seu cliente precisa. Às vezes nem ele mesmo sabe o que é.


Se fizéssemos uma pesquisa há alguns anos atrás sobre a possibilidade de usarmos carros de particulares ou qualquer meio de transporte que não fossem os registrados por um órgão regulador (táxis), receberíamos uma bela resposta negativa. O fato é que não é o serviço em si que foi alterado. Os fundadores do Uber focaram não apenas em um único problema (transporte mais acessível e mais barato) mas também em vários outros: segurança, ampliar a oferta, melhorar o atendimento. Analisando este caso, fica teoricamente fácil transpor o conceito para a hotelaria. ;)




E ai, concorda que o vilão é o airbnb ou apenas o setor hoteleiro que não soube se posicionar?



-------------


* OTAs - Online Travel Agencies - São empresas como a Hostelworld, Booking.com, Expedia e tantos outros canais e que disponibilizam essencialmente, um canal de reservas para a hotelaria.



Saiba mais:

Tuba do Conteúdo - A Evolução do Funil de Vendas

Influencers em seu hotel, aceitar ou não essa parceria?

Onde anunciar seu hotel: no Google ou nas Redes Sociais?




Conte com a MOHAP Digital

Nós somos seus parceiros!


Você sabe em quais redes você está?

Reclame Aqui, TripAdvisor, Waze, Facebook, Instagram, Google Maps.

Você pode estar nestas plataformas sociais e nem saber!


Em muitas redes sociais, os próprios usuários podem criar uma página para sua empresa, sem você nem imaginar.



Que tal descobrir GRATUITAMENTE como sua empresa aparece na internet?

É só acessar o link abaixo e solicitar o seu diagnóstico gratuito!




(11) 94063-2281

@mohapdigital

f9e9b6_46805d2c19cf4f2aa56f1b45f020f721_

 Empresa Impulsionada por B2Mamy Aceleradora

Powered Google For Startups

- 2019 -

Logo_for_Google_for_Startups_page.png
whatsapp_número_1.png